Alimentação para uma pele saudável

Alimentação para uma pele saudável

O filósofo grego Hipócrates viveu há aproximadamente 2.500 anos, mas sem dúvida nenhuma que sabia muito bem do que estava a falar.

“Que o seu remédio seja o seu alimento e que o seu alimento seja o seu remédio” é uma das citações mais famosas do homem que foi considerado o pai da medicina moderna. E este conselho resistiu bem à prova do tempo. 

Quanto melhor compreendemos a nutrição, mais aprendemos sobre o impacto que uma alimentação deficiente tem no nosso sistema imunitário, no nosso desenvolvimento físico e mental e nos nossos níveis de energia. 

Contudo, a forma como a alimentação afeta a saúde da nossa pele é muitas vezes ignorada. A nutrição é um dos aspetos mais importantes para a saúde da pele e do organismo como um todo.

O maior órgão do corpo desenvolve constantemente novas células, pelo que é fundamental garantirmos que o processo é alimentado com os nutrientes certos.

Tome o seu complexo de hidratos de carbono

Os hidratos de carbono desempenham um papel essencial numa alimentação equilibrada e variada, mas assumem diferentes formas. Os hidratos de carbono refinados estão associados ao aumento de peso e a outros problemas.

E, aparentemente, também podem ter impacto na nossa pele. A ligação entre acne e alimentação tem sido controversa ao longo dos anos, mas as investigações atuais mostram evidências de que dietas com elevada carga glicémica – dietas ricas em hidratos de carbono refinados, como pão branco, bebidas açucaradas e cereais adoçados – podem exacerbar a acne.

Como sempre com a alimentação, é tudo uma questão de moderação e variedade.

Os nutricionistas sugerem combinar pratos que incluam alimentos ricos em proteínas, como carne e ovos, e hidratos de carbono complexos, como pão e arroz integrais, juntamente com vegetais e fruta em abundância.

Acabe com os radicais livres

Outro elemento essencial da nossa alimentação a ter em consideração no que diz respeito à nossa pele são os antioxidantes, que estão associados a vários benefícios, como prevenção de cancro e propriedades antienvelhecimento.

Os polifenois são fitoquímicos encontrados em fontes alimentares vegetais naturais e têm propriedades antioxidantes capazes de ajudar a neutralizar as moléculas de “radicais livres” que prejudicam as células e comprometem o seu funcionamento adequado.

Os radicais livres podem ser criados naturalmente pelo corpo, mas também estão estreitamente associados à ingestão de álcool, ao fumo de tabaco, à radiação ultravioleta e à poluição.

No que diz respeito ao envelhecimento, dão origem à degradação do colagénio da pele e reduzem a produção de novo colagénio, resultando em flacidez e perda de firmeza da pele.

Ingerir antioxidantes – entre os quais betacaroteno, luteína, licopeno, selénio e vitaminas A, C e E – ajuda a desacelerar o processo de envelhecimento.

Vegetais como alcachofra, couve, brócolos, espargos, beterraba e espinafres, para além de alguns frutos secos, contêm níveis elevados de antioxidantes.

Também podem ser encontrados em óleos de peixe, frutas secas (como uva passa, ameixa, figo e tâmara) e frutas com cores intensas tais como groselha-negra, mirtilo, manga, uva, morango e tomate.

Até mesmo especiarias e ervas, como cravinho, canela, orégãos e caril em pó contêm antioxidantes, o que faz delas uma excelente forma de dar um toque diferente a uma refeição e descobrir novos sabores.

Alimentos do sol

Claro que as vitaminas são – como o nome sugere – vitais para nossa saúde. E, como tantas outras coisas, tal inclui a saúde da nossa pele.

Para ingerirmos a maioria das vitaminas, basta uma alimentação saudável, equilibrada e variada – mas com a vitamina D é diferente. Esta vitamina é produzida pelo organismo durante a exposição à luz solar.   

Além de auxiliar no crescimento e reparação das células da pele, a vitamina também cria e mantém os ossos fortes, daí a importância de garantir que quem não consegue obter vitamina D suficiente com a exposição segura ao sol a suplemente com outras fontes. 

O simples ovo é uma dessas fontes, assim como peixes gordurosos. Algumas pessoas podem receber indicação de suplementação vitamínica adicional, dependendo das circunstâncias.

Faça experiências

Embora o incentivo a uma dieta variada que inclua carnes, queijos e peixes seja importante para o nosso bem-estar, por vezes é difícil persuadir algumas pessoas – especialmente as crianças – a comerem frutas e vegetais. Transformar frutas e vegetais em sumos vitaminados e experimentar novas receitas – como colocar nozes e frutas em saladas, fazer sopas, usá-los na pizza ou adicioná-los como decoração - pode ajudar.

O que importa é a variedade. Quanto maior a variedade de alimentos que conseguirmos incorporar na nossa alimentação, maior será a quantidade de micronutrientes que disponibilizaremos à nossa pele.

Se conseguirmos promover essa variedade desde cedo, as crianças sentirão o benefício ao longo de toda a vida.

O jogo de longa duração

Dois milénios e meio depois de Hipócrates ter partilhado a sua opinião sobre a importância da alimentação como remédio, a ciência médica e nutricional percorreu um longo caminho.

Ainda assim, somos tão dependentes da nossa saúde quanto Hipócrates um dia foi.

A nossa pele é a parte mais evidente do nosso corpo e, ainda assim, muitas vezes esquecemo-nos de que cuidar dela não envolve só aplicar cremes e loções, depende também de uma alimentação saudável.

Se fizermos isto, a pele terá os elementos certos para ser tão saudável quanto possível durante muitos anos.

 

Para saber mais, clique aqui.

Esta história faz parte de uma série de artigos cujo objetivo é ilustrar como uma pele saudável tem impacto positivo na vida das pessoas. Foi desenvolvida com a colaboração dos nossos especialistas científicos e médicos e destina-se ao público em geral.